Como expelir pedra nos rins com Cloreto de Magnésio PA

Se procura saber como expelir pedra nos rins com Cloreto de Magnésio PA temos novidades para si, aqui você vai saber tudo sobre o assunto, ou quase tudo, acompanhe a matéria. É chamado dor de cólica renal, ou cálculo renal. A dor proveniente das pedras nos rins é causada porque as pedras obstruem as vias urinárias.

expelir-pedra-nos-rins-com-Cloreto-de-Magnésio

 

Impedindo que a urina seja expelida normalmente. Essa obstrução do canal torna estreita a passagem da urina na saída, causando dor e acúmulo de líquido nos rins, conseqüente o inchaço dos mesmos.

Nos tratamentos anteriores, era indicado que o paciente tomasse muita água. Afim de que com bastante água ingerida o rim forçaria o líquido empurrar o cálculo renal (pedras) para baixo.

Porém, nos tratamentos atuais não é recomendado ingerir muita água. Pois, a cólica renal acontece justamente porque o rim continua filtrando a urina, mas não tem por onde expelir. Isso por conta da obstrução no ureter, daí então esse acúmulo de líquido acaba provocando inchaço e dor.

Como expelir pedra nos rins com Cloreto de Magnésio PA

A formação das pedras nos rins acontece por vários fatores. Quem ingere pouca água tende a ter com mais facilidade as pedras nos rins. Pois há formação de cristais, esses cristais tornam-se posteriormente as pedras.

Má alimentação também contribui para o problema. Sendo que o primeiro elemento que deve ser evitado em excesso, é o sal. Entre outras substâncias como o cálcio, sódio, oxalato, potássio e proteínas.

Refrigerante, alimentos industrializados que geralmente contém muito sódio e excesso de proteína animal devem ser evitados.

O mau funcionamento do sistema urinário contribui também para afloração do cálculo renal. E também pré-disposição genética.

Para quem já teve o problema, é recomendado que beba bastante água diariamente. Fazer consultas pelo menos uma vez por ano ao urologista, para garantir a prevenção de algum novo surgimento de cálculo renal.

Na alimentação procure alimentos naturais que tenham líquido, frutas cítricas, iogurtes, chás, sopas.

O que é o Cloreto de Magnésio?

O cloreto de magnésio é um mineral composto, que possui o cloro e magnésio Todas as vitaminas e minerais dos alimentos ou dá água mineral provém do solo. É do solo que as plantações crescem e obtém seus respectivos valores nutricionais.

Em regiões (países) onde o solo é pobre em magnésio, isso pelo fato de não ter vulcões (terra magneziana), conseqüentemente as plantações e água deste lugar também serão escassas do mineral magnésio.

Quais os tipos de magnésio que existem?

Magnésio Citrato – É o magnésio em sua forma mais simples

Magnésio Quelado – aumenta a sua absorção, pela ligação do mineral a um aminoácido

Magnésio Dimalato: 100% natural, tem melhor absorção em suplementação do magnésio

Magnésio Treonato: É um tipo de magnésio mais cerebral

Cloreto de Magnésio – O mais utilizado, e também com valor mais acessível para a compra.

Magnésio Glicil Glutamina: Nesta forma o magnésio é quelado, o intestino absorve e gera glutamina, glicina e magnésio

Para que serve o Cloreto de Magnésio PA?

Ele é um mineral fundamental para o organismo humano, previne e ajuda na boa função do organismo, quando presente em quantidade certa no sangue.

Sendo um regulador de cálcio no organismo. Ele distribui o cálcio pelo corpo, coloca a quantidade ideal onde deve ter e elimina o excesso do mesmo em outros lugares.

O cloreto de magnésio ajuda no equilíbrio dos ácidos do corpo, regula a TPM, reduz o risco de cânceres e tumores, melhora as funções cerebrais, diminui a perda de capacidade cerebral ao longo dos anos, melhora a estrutura dos músculos, células, nervos, ossos e coração.

A deficiência desse mineral no organismo pode provocar: insônia, obesidade, insuficiência cardíaca, hipertensão, artrite, artrose, epilepsia, pedras nos rins, envelhecimento acelerado, TPM, apatia, raiva, ansiedade, problemas de memória, tiques nervosos, dormência, formigamento, diabetes, câimbras.

O magnésio é um regulador de cálcio no organismo. Quando a alimentação é freqüentemente rica em alimentos que contém cálcio, como: queijos, leite, ovos, aveia, lentilha, brócolis, sardinha, entre outros.

O organismo necessita regular essa quantidade de cálcio que é ingerida diariamente. O magnésio é o mineral que tem esse papel de regulador do cálcio.

O problema é a falta deste mineral no organismo. O que é muito freqüente. Pois se o solo é pobre em magnésio, os alimentos que vem dele também serão.

Há alguns alimentos que tem maior significância de magnésio, tais como: espinafre, semente de abóbora, cavala, arroz integral, abacate, banana, chocolate amargo, couve, salmão, coentro, feijão preto, castanha de caju, acelga.

Mas, para uma dieta equilibrada e garantida. Principalmente para que quer evitar o grande incomodo de pedras nos rins. É feito uso de suplementação em cloreto de magnésio.

Como preparar Cloreto de Magnésio (solução)

Para preparar a solução você vai precisar de cloreto de magnésio que pode ser comprado em potes de quilo ou saches de 33 gramas. O uso pode ser feito com o sache de 33g para 1 litro de água, ou mais ou menos o mesmo peso quando comprado por quilo, para um litro de água também.

A dose normal para pessoas adultas é tomar dois ou três copos de 30 a 50 ml por dia espaçadamente (manhã, tarde e noite).

Dica: Não tome logo os 2 ou 3 copos x dia, tente devagar para seu organismo se adaptar ao suplemento, se tudo bem? .. continue a receita inicial.

Aqui temos uma solução de 21 gramas para 7,5 L de água. (foto da preparação e pronto na garrafa):

preparar Cloreto de Magnésio

Cloreto de Magnésio pronto

Manter uma dieta equilibrada e suficiente para o organismo, o cloreto de magnésio pode ser tomado por tempo indeterminado.

Para quem está sofrendo com as pedras no rim, essa ingestão diária ajudará a dissolver as pedras entre 15 e 45 dias. A dor que pode aumentar é justamente por essa dissolução das pedras que vai ocorrer.

Ingerir a quantidade indicada diariamente ajuda no tratamento de pedras nos rins. Para quem tem esse problema vale à pena tomar, pois o magnésio não deixará ocorrer a formação das pedras no rim.

Justamente por não permitir o acumulo de cálcio em excesso, que é um dos fatores de maior causa de cálculo renal. O magnésio ajuda a dissolver as pedras no rim, ao mesmo tempo em que previne a formação de novas. 😉

Conclusão

É necessário manter o equilíbrio entre a prática de formas de tratamento e o acompanhamento clínico, fale com seu médico sobre o caso.

A ingestão de cloreto de magnésio contribui para o tipo pedra no rim mais comum, causado pela substância oxalato, presente na alimentação. Mas em caso de dúvida sobre o tipo da pedra no rim, é necessário consultar um médico. Embora a ingestão regular do magnésio não fará mal, muito pelo contrário, só há benefícios para a saúde.

Gostou de saber como expelir pedra nos rins com Cloreto de Magnésio? É importante obter e disseminar informações concisas sobre saúde, tratamentos e prevenções, lembre-se de usar SEMPRE o PA, é o estado mais puro que se encontra, os de farmácia comuns podem fazer mal para sua saúde quando usado por muito tempo e não tem efeito de cura! Porém, nenhum método substitui acompanhamento médico. Deixe o seu comentário, a sua opinião é valiosa..

Links úteis:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *