Benefícios da Ozonioterapia na esclerose múltipla

Você já ouviu falar nos benefícios da ozonioterapia na esclerose múltipla? No artigo de hoje vamos trazer os benefícios desse tratamento que apesar de não ser novo, seu uso e benefícios no Brasil começaram a ser discutidos recentemente pelos profissionais da área, e cada dia a procura de clínicas que realizem o procedimento aumenta por parte da população.

Benefícios da Ozonioterapia na esclerose múltipla

Benefícios da Ozonioterapia na esclerose múltipla, o que é, causas

Já adiantamos que é um tratamento que visa o alívio de sintomas e a melhora da qualidade de vida em diversas doenças, entre elas, a esclerose múltipla. Vamos começar entendendo melhor a doença para explicarmos o tratamento em questão.

O que é esclerose múltipla?

A esclerose múltipla é uma doença crônica (não resolvida em um curto espaço de tempo), auto – imune (o corpo passa a atacar nossas próprias proteínas), inflamatória e degenerativa (causam aos poucos a destruição de todo o organismo), que afeta o sistema nervoso central.

O sistema imunológico do corpo confunde células saudáveis com células ‘’intrusas’’ e as ataca, o que provoca lesões, assim o sistema imune do paciente corrói a bainha de mielina, que é uma capa protetora para os nervos. Sem a chamada mielina o cérebro os impulsos nervosos não são transmitidos na velocidade correta para a medula e para o resto do sistema nervoso central.

A doença pela falta de mielinização causa lesões no cérebro, e isso faz com que o paciente perca massa cerebral, muito mais rápido do que é normal perder. A doença é conhecida por ser potencialmente debilitante com o passar do tempo.

A esclerose múltipla atinge cerca de 2,5 milhões de pessoas no mundo, e é uma doença sem cura.

Sintomas da esclerose múltipla

Os sintomas variam muito dentro da doença, alguns aparecem, outros não, isso porque vai depender dos nervos afetados mas aqui listaremos os primeiros sintomas de esclerose múltipla no geral. Confira:

  • Visão turva ou dupla;
  • Fadiga;
  • Formigamentos;
  • Falta de equilíbrio;
  • Espasmos musculares;
  • Coceira;
  • Dormência;
  • Queimação;
  • Dificuldade para andar;
  • Problemas de coordenação;
  • Dificuldade para pequenos movimentos;
  • Tremor;
  • Fraqueza nos membros;
  • Constipação intestinal;
  • Tonturas;
  • Perda da memória;
  • Perda da audição;
  • Depressão;
  • Problemas sexuais (secura vaginal, problemas de ereção, menor apetite sexual)
  • Fala arrastada;
  • Falada anasalada;
  • Problemas de deglutição;
  • Incontinência urinária (vontade de urinar várias vezes, urgência para urinar).

Formas de evolução da esclerose múltipla:

Remitente recorrente: É a forma mais comum, os sintomas ocorrem na forma de surtos. Ou seja, caracterizado por crises, nas crises que podem durar dias ou semanas, há sempre um sintoma neurológico, após a crise pode haver recuperação total ou parcial do que foi debilitado. Depois há um período de remissão, ou seja, o indivíduo fica um tempo sem ter qualquer sintoma.

Forma progressiva: Os sintomas neurológicos evoluem gradualmente para pior. Sem intervalos ou remissões. Geralmente essa fase chega após um ano da fase remitente recorrente. Por vezes essa forma já é apresentada logo de início, o que é raro, mas é chamada de forma progressiva primária.

Causas da esclerose múltipla

As causas exatas ainda não são conhecidas, há hipóteses em andamento mas ainda sem comprovações. É uma doença que produzi diversos estudos, justamente pela complexidade da possível causa.

Fatores de risco

Apesar da causa estar em estudo os médicos colocam algumas características como possíveis fatores de risco para a esclerose múltipla. Confira:

Idade, a esclerose múltipla pode acontecer em qualquer idade, mas é mais comum entre 20-40 anos. Nessa faixa etária que são diagnósticos mais da metade da doença;

Gênero, mulheres são mais propensas ao desenvolvimento do que os homens, em proporção a doença atinge três mulheres para cada um homem;

Histórico familiar: Se algum familiar, como pais e irmãos, tiverem desenvolvido a doença você tem a chance de 1 a 3% de desenvolver também quando comparado a população em geral;

Etnia: Os caucasianos, especialmente do Norte da Europa correm maior risco.

Regiões Geográficas, a doença é muito mais comum em algumas regiões como:

Europa, sul do Canadá, norte do Estados Unidos, Nova Zelândia e sudeste da Austrália. O motivo? Ainda não se sabe porque a prevalência é maior nessas regiões;

Outras doenças autoimunes, se você tiver outra doença que afete seu sistema imune a chance de desenvolver esclerose múltipla aumenta. Alguns exemplos das doenças são: distúrbios na tireoide, diabetes tipo 1 ou doença inflamatória intestinal.

Ser fumador, acredita-se que esse fator pode desencadear o processo inflamatório de fibras nervosas.

Diagnóstico

O diagnóstico nem sempre é fácil. Isso porque os sintomas que listamos acima, estão presentes em diversas patologias, e como geralmente no início da doença há remissões do sintoma o próprio paciente pode demorar pra procurar ajuda médica.

O médico além da história clínica pode pedir diversos exames para excluir outras doenças, tais como: Ressonância magnética, exame de sangue e até exame com retirada do líquor.

Tratamento

A esclerose múltipla atualmente não tem cura, o tratamento existe para controlar os sintomas e promover uma melhora na qualidade de vida dos pacientes. Medicamentos como cápsulas ou injeções diárias, semanais ou mensais são prescritos.

Outras estratégias de tratamento é fazer sessões de fisioterapia para o fortalecimento muscular, e para toda a parte que envolve movimentos. E apoio psicológico para tratar emocionalmente com as crises, e com as limitações que possam surgir.

Prevenção

Infelizmente não há nenhuma forma de prevenção, o diagnóstico precoce é muito importante para começar rapidamente o tratamento adequado e retardar os sintomas.

Atualmente um novo tratamento promete melhorar ainda mais a qualidade de vida dos pacientes portadores de esclerose múltipla, esse tratamento é chamado de ozonioterapia.

O que é ozonioterapia

A ozonoterapia é um tratamento de ozônio-oxigênio, esses gases se juntam e se transformam através da radiação UV e por geradores de ozônio, isso é feito em uma máquina específica usada na terapia. A mistura dos gases podem ser aplicadas por endovenosa, intra-muscular, e até passando diretamente sob o corpo, só nunca pode ser inalada, pois pode ser fatal.

Como funciona a Ozonoterapia na esclerose múltipla

Como uma das características da esclerose múltipla é ser uma doença inflamatória acredita-se que quando os gases sem juntam e se transformam eles tenham poder de desinflamar as áreas cerebrais atingidas, assim, melhorando de forma geral o quadro da doença e consequentemente a qualidade de vida do paciente.

Onde encontrar a ozonioterapia?

Se interessou e gostaria de realizar o tratamento? Atualmente no Brasil não há muitos médicos que realizem, mas existem, basta procurar e fazer o orçamento com clínicas e profissionais que realizem o procedimento, lembrando que somente o profissional médico tem autorização para realizar tal procedimento.

Riscos

Você deve estar se perguntando se esse tratamento traz riscos para a saúde. Pois bem, do que se sabe até agora a ozonoterapia é totalmente segura, foram listados pelo mundo alguns efeitos colaterais pós tratamento, mas todos foram discretos e inofensivos para a saúde.

Alguns médicos tem receio da ozonioterapia com a justificava que a doença necessita de mais comprovações científicas, e relatam que ainda não se sabe os efeitos a longo prazo.

Conclusão

A verdade é que a ozonioterapia é um assunto novo nas discussões mas pode conter a melhora da qualidade de vida de muitos pacientes que tenham tratamentos mais limitados, como o caso da esclerose múltipla.

Esperamos que você tenha entendido melhor sobre os benefícios da ozonioterapia na esclerose múltipla. Se você gosta de artigos com os temas de saúde não deixe de acompanhar nossa página e ler outros artigos.

Links úteis:

 <<< Voltar ao início

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

4 thoughts on “Benefícios da Ozonioterapia na esclerose múltipla

    1. Bom dia, você tem que aprender o mais possível para aplicar em seu filho, se informe bem sobre o assunto. Tem muitas pesquisas que comprovam o quanto é bom para tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *