Aveloz planta medicinal no tratamento ou cura do câncer

Aveloz é uma poderosa planta que vem sendo estudada para a cura do câncer, se você gostaria de saber se pode usar a aveloz planta medicinal no tratamento do câncer (ou cura), acompanhe a matéria..

Pesquisas em diversas universidades são realizadas há mais de dez anos afim de relatar sua verdadeira eficácia. Embora não seja um procedimento autorizado por legislação.

Aveloz planta medicinal no tratamento ou cura do câncer

O uso da substância e dos benefícios que os ramos dessa árvore oferece, vem sendo usado há muito tempo já pelos antigos, e continua como forma de tratamento medicinal popular.

Aveloz planta medicinal no tratamento do câncer

Tanto para combater células cancerígenas de vários tipos de câncer, como para diversas outras doenças a planta aveloz é muito eficaz, saiba mais sobre ela.

A Aveloz (Euphorbia Tirucalli) é uma árvore de porte médio de origem Africana. E popularmente é chamada de inúmeros nomes como: Árvore-de-São-Sebastião, Cega-olho, Coral-verde ou Almeidinha, Arvore lápis, Pau Pelado, Dedinho, Labirinto. Essa espécie se adapta muito bem ao clima tropical e quente. No Brasil é encontrada especialmente na região do nordeste.

Ação Terapêutica

A ação terapêutica de sua substância já vem da utilização e sabedoria dos antigos da cultura popular para vários tipos de câncer, além de ser usada também ,para o tratamento de vários outros males como; prisão de ventre, verrugas, inflamações da garganta, reumatismo, doenças respiratórias como tosse e asma.

Sua ação anti-inflamatória, analgésica, fungicida, antibiótica, laxante, expectorante e combatente às células cancerígenas já foram constatadas em pesquisas prática, no entanto continuam sendo estudadas de forma mais completa pela medicina.

Dados científicos

Os laboratórios que fazem pesquisas científicas com base em dados, ao fazer o processo de extração da substância medicinal da Aveloz, primeiro retiram do interior do ramo uma seiva branca, que lembra um látex. Essa substância é bastante tóxica. Após, é feito um procedimento de purificação, onde restam apenas com as substâncias benéficas da seiva, que podem ser utilizadas medicinalmente sem maiores complicações.

Os estudos laboratoriais revelam que o primeiro composto extraído do Aveloz, o chamado AM 10, constatou efeitos benéficos em; ação analgésica, anti-inflamatória. E nas céculas cancerígenas, a substância extraída e purificada da Aveloz , age com ação citotóxica, ou seja, essa ação é o que destrói as células cancerígenas.

O estudo na prática com pacientes, começou em 2008 sob a a direção do Doutor Áuro Del Giglio, coordenador do programa de oncologia do Hospital Albert Einstein, na zona sul de São Paulo.

Nesse primeiro estudo prático, foram envolvidos 6 pacientes. O resultado foi da estabilização de apenas um caso, os outros 5 não responderam . Mas já no primeiro nível de aplicação da substância foi identificada toxidades do efeito da droga, sendo o suficiente para não aumentar a dose, e continuar os próximos estudos com mulheres com câncer de mama em casos agravados.

Ao quebrar o ramo, em seu interior encontrará uma seiva branca da planta, o chamado látex. Essa substância é altamente tóxica e não deve ser manuseada sem proteção. Pois ela pura e concentrada, pode acometer ferimentos de queimadura e machucados nos lugares que entrar em contato. Tome cuidado com a área dos olhos, pois ela pode causar cegueira.

Como preparar e usar

Para preparar aveloz retire a seiva látex dos galhos do Aveloz e coloque 18 (dezoito) gotas em dois litros de água potável. Poderá tomar até 3 vezes ao dia, um copo por vez. Equilibre entre manhã, tarde e noite.

Para fazer apenas uma dose diária, em menor quantidade, o Aveloz pode ser feito com 1 gota da seiva látex diluído em 200 ml de água.

É necessário colocar as 18 gotas diretamente dentro da água potável. Pois a substância desse leite puro, após retirada, acaba ficando insolúvel se ficar fora da água.

Se fizer a receita para tomar 3 vezes durante o dia, pode usar uma garrafa pet de 2L para as 18 gotas coletadas da seiva.

Tratamento fitoterápico / Anvisa

Essa é uma forma de tratamento fitoterápico. Usada para ajudar no tratamento de diversas doenças. A fitoterapia auxilia na redução de sofrimentos causado pela doença, reduz o tempo, ajuda nos processos de anti-inflamação, anestésico, antibiótico entra outros.

A fitoterapia se resume em produção de drogas vegetais. Essa prática veio sendo discutida por políticas do setor desde 2003, sendo aprovada em 2010. Importante ressaltar que a prática é liberada como um serviço de saúde de tratamento complementar, ou seja, conforme a lei, não substitui a medicina tradicional.

A Anvisa liberou em 2006 o uso das plantas medicinais para a prática fitoterápica. No entanto, não são todas as plantas e ervas que tem liberação. A lei regulamenta em média até agora, apenas 66 espécies.

Todas as categorias regulamentadas pela Anvisa, que são produzidas e comercializadas, vem com suas respectivas informações de efeitos e uso.

A Anvisa publicou em 2011 que proíbe a distribuição e comercialização do Aveloz. Segundo a resolução 2.917. Cada planta tem seu processo de liberação particular. É importante saber.

Embora a Aveloz não tenha a aprovação por lei. É muito usada na medicina popular desde antigamente.

Efeitos Colaterais

Sua substância é forte, e não se pode fazer contato direto com as mãos, sua acidez pode provocar ferimentos profundos, queimaduras, inchaço e se em grande quantidade, pode até necrosar dos tecidos. Os olhos é a parte mais delicada, podendo causar até cegueira.

O látex encontrado no interior dos ramos, se ingerido de forma inadequada, pode causar vômito, diarreia e grave irritação dos tecidos do estômago.

Portanto, para o consumo é recomendado a orientação de um profissional da saúde para consumí-la. O Aveloz pode ser encontrado em algumas farmácias de manipulação e lojas de produtos naturais, embora não seja aprovado por lei essa manipulação.

Contraindicações

Os estudos continuam e médicos alertam os perigos do uso inadequado da substância do Aveloz. Visto sua forte seiva tóxica. Que ao entrar em contato com a pele ou olhos podem causar ferimentos graves. Como o Aveloz não é uma prática liberada pela Anvisa, não se tem relatório conciso sobre suas reais contra-indicações.

Portanto, não é recomendado fazer uso dos ramos sem o determinado acompanhamento de um profissional da saúde, fitoterapia ou medicina alternativa que tenha melhores instruções.

Links úteis:

Considerações finais

Todos os tratamentos devem ser feitos com base em aconselhamento médico, ou alguém amigo que tenha conhecimentos para tal, procure sempre o mais número de opiniões possíveis em relação ao seu problema. Agora que você já sabe mais sobre a aveloz planta medicinal no tratamento do câncer o que vai fazer? Deixe sua opinião nos comentários para que outras pessoas possam também compartilhar ideias e experiências!

<<< veja mais tratamentos e dicas caseiras

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *